• Sabemos que ninguém precisa de bons motivos pra beber a nossa amada cerveja, mas não custa nada lembrar tudo de bom que ela nos proporciona, não é mesmo?

    Selecionamos 10 benefícios e bons motivos, baseado em pesquisas.

     

    beneficios da cerveja

     

    1 – A cerveja possui boa quantidade de vitaminas do complexo B, capazes de beneficiar a flora intestinal, além de ótima capacidade antioxidante que ajudam na manutenção de níveis saudáveis do colesterol total no sangue e protegem contra o desenvolvimento de doenças, como o câncer e o diabetes.  O consumo adequado para que a cerveja seja benéfica é de dois copos (500ml) para homens e um copo (250ml) para mulheres por dia.

     

    2 – Um estudo inédito apresentado no simpósio internacional de cerveja e saúde (Bélgica) sugere que beber cerca de duas a quatro doses de breja por dia reduz entre 17% e 18% o risco de mortalidade por qualquer causa, para mulheres e homens, respectivamente. De acordo com Simona Constanzo, cientista responsável do Departamento de Epidemiologia e Prevenção do Instituto Neurológico Mediterrâneo (Itália), os benefícios da cerveja se aplicam também a pessoas com doenças cardiovasculares.

     

    3 – O álcool pode manter você jovem por mais tempo. É o que diz um grupo de pesquisadores das universidades de Tel Aviv e Columbia. Cada vez que as células do seu corpo se dividem, elas fazem cópias das pontas dos cromossomos (os telômeros), que são sequências de DNA. Só que os tais telômeros ficam mais curtos a cada divisão, até não poderem mais se dividir e morrerem. Faz parte do processo natural de envelhecimento. O álcool pode retardar esse encurtamento e manter o DNA vivo por mais tempo. Os testes foram feitos com as leveduras expostas à substância pelos pesquisadores.

     

    4 – A cerveja, em especial a versão escura, conta com um grama de fibra solúvel a cada garrafa. As fibras são responsáveis por reduzir os níveis de colesterol LDL, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares.

     

    zeca-cerveja

     

    5 – Segundo uma pesquisa de uma universidade na Espanha, o efeito sedativo da cerveja pode ajudar no tratamento da insônia e distúrbios do associados ao sono. O lúpulo que contém na cerveja aumenta a atividade do neurotransmissor GABA, uma substância que apresenta efeito sedativo e diminui a ação do sistema nervoso, preparando o organismo para um sono tranquilo. Pra isso basta uma latinha para as mulheres e duas para os homens, por dia.

     

    6 – Quem bebe cerveja faz mais sexo no primeiro encontro. Foi essa conclusão que o site de relacionamento americano OkCupid chegou após analisar dados de 776 milhões de usuários.

    A ideia era descobrir fatores que ajudassem a identificar se uma pessoa é mais ou menos propensa a fazer sexo no primeiro encontro. Analisando os dados, eles encontraram uma pergunta que, aparentemente, é bem reveladora: “você curte o gosto da cerveja?”. De acordo com o OkCupid, os amantes do gostinho da cerveja são 60% mais propensos a ir para a cama com alguém que acabaram de conhecer.

     

    7 – Um copo de cerveja tem metade das calorias da mesma quantidade de iogurte. Reveja a sua dieta! Beber cerveja com moderação não engorda.

     

    8 – Barriga de cerveja é mito. Os nutricionistas Pedro Carvalho e Vítor Hugo Teixeira garantem no livro “50 Super Alimentos Portugueses” que isso não é cientificamente comprovado.

    Segundo eles, o consumo moderado desta bebida, além de não causar gordura localizada, pode ter benefícios para saúde, “principalmente pela melhoria da saúde óssea e cardiovascular”.

     

    9 – Cerveja faz bem para os ossos. Um estudo da Universidade de Extremadura, em Cáceres, na Espanha, envolveu 1700 voluntárias e constatou que as mulheres que bebiam cerveja regularmente tinham melhor densidade óssea do que as não bebiam álcool.

     

    10 – Segundo uma pesquisa realizada por Robin Dunbar, diretor do grupo de pesquisa social e evolucionário de neurociência da conceituada Universidade de Oxford, no Reino Unido, sair com no mínimo quatro amigos para beber pelo menos duas vezes por semana pode melhorar a saúde, bem como acelerar a recuperação de pacientes (desde que não estejam lesionados por causa do álcool).

     

    Todas essas pesquisas acima já foram publicadas anteriormente aqui no Bebida Liberada e todas com fonte.

     

     

    tags: , ,

  • Essa é uma receita especial da Renata, do Psicozinha, que estar com a gente a cada 15 dias, trazendo novidades da culinária alcoólica.

    Deliciem-se!

     

    Olá pessoal do Bebida Liberada

    É um enorme prazer poder estar aqui dividindo meus dotes culinários com vocês.

    Hoje vamos fazer uma deliciosa receita de Talharim com Filé Mignon ao Molho de Vinho.

    Uma receita prática, deliciosa e que tem um cheirinho. Hummmmmm… é de dar água na boca.

    Vamos lá!

     

    talharim-ao-molho-de-vinho

     

    Ingredientes:

    1 pacote 500 grs de talharim fresco

    500 grs de filé mignon cortado em tirinhas

    1 colher (sopa) de margarina

    1 xícara (chá) de água

    2 xícaras (chá) de vinho tinto seco

    100 grs de Champignon fatiado

    2 dentes de alho

    1/2 cebola picada

    1 colher (sopa) de farinha de trigo

    sal e pimenta do reino a gosto

    manjericão fresco

    queijo ralado

     

    Modo de preparar:

    Cozinhe o talharim conforme as instruções da embalagem.

    Coloque a manteiga em uma frigideira e deixe derreter, coloque o alho triturado e a cebola picada até dourar. Coloque o filé mignon e doure. Em seguida, retire e reserve.

    Na mesma frigideira, coloque a farinha de trigo e mexa no molho que ficou na panela. Adicione a água e o vinho. Vá mexendo até engrossar e ficar um molho aveludado.

    Coloque o champignon e o filé mignon. Deixe cozinhar por mais um minuto para pegar o sabor e desligue o fogo. Agora coloque o manjericão fresco e mexa o molho.

    Coloque o talharim em uma travessa, em seguida cubra com o molho, queijo ralado e sirva.

    Espero que gostem. Minha família adora!

    Beijos

    Renata

     

     

    Renata: Instagram @donna_bier, Facebook: Psicozinha

     

     

    tags: , , ,

  • -Por Décio Falci

     

    “Caraca onde eu to?!”

    “Ai caramba que noite foi essa?!”

    “Quem é você?!”

     

    porre de codka

     

    Aposto que todo mundo sabe de do que eu to falando né?

    Quem nunca tomou um porre de Vodka e acordou no outro dia com uma dessas frases que tom a primeira dose! Hahaha Quem nunca tomou um porre com as Bahaus, Balalaika ou Natasha da vida não sabe o que é noite loka. E as noite ao som de sertanejo ou eletrônica com uma Absolut ou ciroc? Vamos confessar né Vodka é foda!

     

    E você ainda pode usar a velha desculpa do “se não lembro não fiz!” com perfeição já que na maioria das vezes a manhã vem acompanhada de uma ressaca é um espaço livre na memória!

     

    Então na próxima vez que for beber já sabe, seja russa, sueca ou aquelas do buteco fim de carreira ali da esquina, coloque uma câmera no ombro esconda a chave do carro e me chama!! Hahaha

     

    Você encontra o Décio no twitter como @ODecioPinto

    tags: , , ,

  • Um estudo publicado no periódico científico Nature Chemical Biology, mostrou, como cientistas descobriam uma forma de produzir morfina usando o mesmo método aplicado na produção de cervejas artesanais.

     

    cerveja1

     

    Eles modificaram geneticamente leveduras, para que elas fizessem um processo químico capaz de transformar açúcar em morfina.

     

    O estudo, apesar de ser visto de forma promissora pelos médicos, também gera preocupações sobre a possibilidade de serem criadas drogas artesanais.

     

    Para a produção de cerveja caseira, é necessário leveduras microscópicas que transformam o açúcar em álcool. Mas, ao usar o DNA de plantas, os cientistas conseguiram criar leveduras capazes de criar morfinas.

     

    Um estágio desta produção, conhecido como reticulina, era um obstáculo para este objetivo que foi solucionado por uma equipe da Universidade da Califórnia, em Berkley.

     

    O que queremos fazer é alimentar a levedura com glucose, uma forma barata de açúcar, para que ela seja capaz de transformá-lo em uma droga terapêutica“, afirma o bioengenheiro John Duebe.

     

    Em nosso estudo, descrevemos todos os passos necessários para isso. Agora, é uma questão de conectá-los e criar um processo capaz de produzir em escala. Não é algo simples, mas é possível.”

     

    A princípio, qualquer um com acesso a este tipo de levedura e as habilidades básicas de fermentação poderiam produzir morfina usando um kit utilizado para fazer cerveja“, explica um comentário sobre o estudo também publicado no periódico científico, que recomenda um maior controle destes microorganismos transgênicos.

     

    Paul Freemont, um dos diretores do Centro de Biologia Sintética e Inovação do Imperial College, em Londres, no Reino Unido, acredita que o assunto deve ser tratado com seriedade, já que permite produzir narcóticos que podem vir a ser usados ilegalmente.

     

    “Hoje, não é fácil produzir este tipo de levedura do ponto de vista técnico, mas e no futuro?“, questiona Freemont. “Por isso, é importante pensar em como devemos regular estas novas variedades.”

     

    Fonte 

     

    tags: , ,

  • Por Amon

    Olá meus caros amigos, todos já devem saber que atualmente surgiu uma enormidade de fabricantes de cervejas, artesanais ou não, e que acabam dando inúmeras opções para o consumidor. Há no mercado muita coisa ruim, horrível, quase que um “sukest” com álcool, quase que um produto que teria surgido da mistura de álcool zulu, com água da torneira, e por aí vai.

     

    henrique-fogaca

     

    Mas, se há produtos horríveis, há também os bons, os excelentes e extraordinários. Dentre essas categorias, posso mencionar a cerveja do chef Fogaça, um cara de personalidade forte, marcante e autêntico, empresário, apresentador, cantor e amigo. Assim, cremos que os produtores da cerveja lograram êxito em trazer para a cerveja todas essas características, criando uma cerveja forte, marcante, única.

     

    Trata-se de uma American Pale Ale (APA), de alta fermentação e coloração âmbar, fabricada com maltes caramelizados e com a utilização de um único tipo de lúpulo americano,  o refrescantes “Summit”, de modo que a cerveja tenha um excelente aroma cítrico e frutado com um, não menos complexo do que a personalidade do chef, amargor.

     

    Foto do Instagram do @cervejeirocorredor

    Foto do Instagram do @cervejeirocorredor

     

    Ao degustar a cerveja, já me envolvi diretamente com o aroma, muito bom, diria, instigante. Ao primeiro gole, senti o forte (32 IBUs (unidade de amargor))  que já me fez pensar tratar-se de uma cerveja agressiva, daquelas que não é tarefa das mais agradáveis levar a garrafa ao cabo. Porém, percebi que após o segundo gole, o amargor dá uma sustância ao sabor, sem adentrar na agressividade para a ingestão.

     

    Eu provei a Fogaça APA acompanhando um dogão de salsichas alemãs, mas não aqueles cheios de condimentos e recheio, apenas com a salsicha, mostarda, pimenta e bacon. Recomendo essa harmonização.

     

    Estilo: American Pale Ale (APA)

    Cervejaria: Dortmund.

    Teor Alcóolico: 4,9%

    Ingredientes: Água, Malte líquido e levedura

    Temperatura ideal: 5 a 7 °C

    Preço: R$10 a R$ 15 pela garrafa de 330 ml

    Harmonização: Carpaccio, Frango, Lula, Salsichas Alemãs, Hamburguer, Carnes vermelhas, pratos mexicanos ou condimentados e torta de limão.

     

    Você encontra o Amon no twitter como @Amon78

    tags: , , , ,