Por @ZeMoreira

.

Como diria meu velho pai tudo na vida tem que ser festejado, se a gente celebra todo ano o nascimento e ressurreição de um barbudo – como ele mesmo diz – devemos aproveitar cada dia, como se fosse por si só especial.
Então finalmente chega a páscoa e com ela vários parentes e amigos reunidos alguns falam em chocolate, outros no tal barbudo, um vinho pra aquecer, alguns criticam os que não pensam no barbudo, mais chocolate, mais um vinho, cruz, paixão, um jesus que parece ator de novela, fome, acabou o vinho, pessoas, cerveja.
Nunca sei o que dar de presente para aquele meu tio que tem diabetes, como vou reagir ao encontrar aquela prima que já namorei, o que falar pra minha avó que sempre me dá uma maldita caneta, e junto com a bebida que me acompanha durante toda a noite chega sua fiel companheira, a nostalgia.
Começo a lembrar de pessoas que já passaram na minha vida, pessoas que já ficaram e até mesmo pessoas que ainda não apareceram – ou por falta de dinheiro pra passagem, ou por não saber meu endereço – mas uma coisa existe em comum, não os conheceria se não me permitisse viver , mas o que a maldita ressaca tem a ver com isso? Eu vou chegar nessa parte da história, mas antes vou pegar uma cerveja na geladeira.

Chega a hora de sair pra visitar a cidade, uma paixão de cristo está acontecendo, várias pessoas vão lá para rever a mesma história todo ano – o vale a pena ver de novo das religiões – entre gritos de “gostoso” para aquele ator famoso da globo que uma semana antes havia sido preso por consumo de drogas e aliciação de menores, você vê uma bela mulher, uma cerveja gelada, um casal se pegando dentro de um banheiro químico, várias histórias e sensações que você provavelmente não veria “Sentado no trono de um apartamento com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar…”, outro barbudo inteligente falou isso.

-Pô Zé, mas tu acha mesmo que eu vou conhecer a pessoa da minha vida assim ?
– Bom cara, a não ser que ela seja porteira do teu prédio ou trabalhe na parte de delivery daquela pizzaria que você sempre pede é melhor meter a cara pelo mundo.
Claro que eu não estou dizendo pra você simplesmente se largar no mundo como se não tivesse mais amanhã, lembre-se da ressaca, ela normalmente é acompanhada pelo excesso de bebida ou pela providência duvidosa da mesma, e se esse for o seu caso, a ressaca é o menor dos seus problemas (espero que não esteja lendo esse texto diretamente de uma banheira cheia de gelo).
Não existe uma fórmula certa para ser feliz – e nem pense em pedir seu dinheiro de volta pois a vida não é mais um produto da polishop – se permitir é o passo número um de um manual que nunca vai deixar de ser escrito. Mas faça da vida a sua principal bebida, só se dê por satisfeito quando não sobrar mais nenhuma gota nessa garrafa e não se preocupe, sempre existirá um engov por perto.
A próxima cerveja é por minha conta.