Pois bem, caros bacharéis. Fim de semana passou e nós, excepcionalmente, não postamos nossa coluna do sábado. Motivo? Ressaca física e moral.

‘Aproveitamos’ a falha para escrever algo sobre isso.

***

‘Eu nunca mais vou beber!’

Foi assim que começou mais uma segunda-feira pra muita gente, em especial para nós do @sociedadejm e para os companheiros aqui do Bebida Liberada. O mais engraçado é que de 9 entre 10 segundas-feiras ouvimos alguém falar isso (tirando quando não somos nós mesmos)… 9 entre 10 porque, normalmente, na décima não conseguimos ouvir nada devido à dor de cabeça provocada pela bebedeira.

Perder a linha, cair e gorfar não é algo exatamente bonito. Mas quem nunca deu um vexame não sabe como é incrível a sensação de acordar e não fazer ideia de onde e nem como passou a noite. Certamente, nesse caso, incrível não é necessariamente algo bom, mas é, literalmente, impossível de acreditar que você chegou nesse ponto.

A propósito, feliz é a noite em que você bebe, gorfa e dorme. Geralmente nada acaba tão bem assim, sempre rola algum tipo de ‘episódio’ em que você faz coisas que até Deus duvida.

Aí, você promete que nunca mais isso vai acontecer, sabendo que é mentira pura. Afinal, quantas vezes você não jurou de pés juntos (apesar das pernas trançadas) que nunca mais colocaria um gole de cachaça na goela e seguiu para o buteco 5 minutos depois? É como diz a música do Velhas Virgens: quando você vê, já ‘perdeu o controle e travou novamente’.

Pro bêbado que esquece o que aconteceu, a pior (ou melhor) coisa que existe é passar o dia tendo flashes compostos por um pout pourri de momentos engraçadíssimos e, ao mesmo tempo, deploráveis.

Mas antes que bata aquela ressaca moral e você comece a ligar para todos os amigos dizendo que é um merda, tentando pescar informações de suas performances mais constrangedoras, lembre-se que todo mundo (ABSOLUTAMENTE TODO MUNDO) tem seu dia de bebum.

‘Eu nunca mais vou beber’ é uma daquelas frases de bêbado que deve ser ignorada.

Portanto, não desista da boemia tão cedo. Como a avó de um de nós dizia: ‘pra morrer de beber basta estar vivo’.

Agora, vamos ali beber mais umas. Você deve conhecer a frase: ‘Evite a ressaca, mantenha-se bêbado’…

Até mais!